QUARTA LIÇÃO - CABEÇAS VÃO ROLAR


Chegamos a um ponto crucial no nosso aprendizado, que são as lições referentes ao crânio humano e à face. Cumpre salientar desde o início que a face e as expressões faciais serão melhor examinadas em futuras lições. Esta será simplesmente o básico para que você demonstre conhecimento para quem você quiser. Não se aflija, a cabeça é difícil de desenhar no início, porém após bastante praticar, sairá naturalmente. Eu desenho um rosto com qualquer expressão em segundos.
Lembre-se sempre: PRATIQUE!

CRÂNIOS

.Primeiramente, o básico do básico, como já visto em lições passadas. A cabeça humana é ovalada e não redonda, sendo que se compõe de duas partes: o crânio e a mandíbula. Veja o formato da mandíbula nas figuras abaixo e perceba que saber desenhá-la representará um enorme avanço no desenho da cabeça revestida pela pele, sendo indispensável o seu conhecimento em vários ângulos para o desenho de expressões faciais como risos ou gritos.


A seguir, apresentamos então a ossada da cabeça em diversos ângulos, para que você tenha a idéia de que a partir destas figuras, ficará mais fácil para vocÊ desenhar o rosto e a cabeça (com pele) mais fidedigna a um movimento possível, pois eu admito que é muito difícil desenhar uma cabeça vista de cima ou de baixo, especialmente de baixo e de lado simultaneamente.

Repare que os dentes não devem ter sua divisão acentuada (fig.3). Deve-se delinear as gengivas com pequenos meio- círculos e no máximo tracejar os dentes do fundo com riscos paralelos.

Técnicas: Note na fig.4 e na fig.5 a parte da testa e da sombrancelha, pois ela tem um bico se vista pela lateral. Note, outrossim, a forma do osso da bochecha que começa perto da orelha e desce até a boca. Esta parte é importante pois quando desenharmos o rosto, traçaremos um leve risco nesse espaço pois significa uma sobra ou um desnível da superfície (ver fig.7 e fig.8). Outra técnica consiste no tracejamento do crânio na parte superior, detalhando-se uma superfície áspera ou utilizando tais pequenos riscos como outro desnível ou uma leve sombra. Observe desenhos em revistas para entender melhor dessa técnica muito utilizada com nanquim (veja a seqüência de escurecimento de uma área, fig. 9, e compare com o resultado no maxilar do rosto da fig. 8). Observe as figs. 7, 8 e 10 para se ter uma idéia da semelhança entre o desenho do esqueleto e do rosto.


Veja, finalmente, uma demonstração da importância do conhecimento da forma da mandíbula para se desenhar uma face de uma forma fiel à realidade humana (fig. 11)


OLHOS

Para se desenhar os olhos deve-se primeiramente saber que eles se localizam exatamente no meio da cabeça, nem mais nem menos, e que o olho deve ter mais ou menos o tamanho da parte inferior do nariz e que a distância entre os olhos é de exatamente um olho. Abaixo, apresenta-se as mais comuns formas de se desenhar um olho em um personagem que não está em close. A fig. 1 e a fig. 2 representam um olhar normal (olho esquerdo), sendo que a diferença entre eles reside na falta de uma linha delineando a parte inferior do olho, que não é necessária na maioria dos casos, já que quando se olha uma pessoa de longe não se nota o branco dos olhos com bastante nitidez, mesclando-se com a pele da face. As outras figuras mostram, respectivamente, um olhar furioso e um olhar de descaso.


Nestes exemplos, já temos a situação de close nos olhos frontalmente e lateralmente. Técnicas: 1. Os cílios masculinos são muito tênues, por isso pouco expressivos e pouco desenhados, diferentemente dos cílios femininos que são fortes e compridos. 2. Costumo desenhar a sombrancelha em "L" deitado e com volume, sendo que utilizo o lápis com riscos paralelos para dar profundidade

à mesma. 3.O olho de lado fica com um formato bem ovalado. Note o desenho das pálpebras em ambos os olhos bem tênue, caso contrário daria a impressão que estaria caída. 4.Analise as opções que ofereço para desenhar a pupila, sendo que a fig. 6 seria como um CD, a fig. 7 com um pouco de reflexo de luzes e a fig. 5 com detalhes no interior da pupila (Olhe seus olhos e veja os detalhes e a influência da luz).

Se você quiser espalhe rugas em volta dos olhos que além de expressar a idade poderia expressar uma expressão facial.




NARIZ

Apresento nestes desenhos algumas opções de narizes, vistos frontalmente e lateralmente, sem se dar o close nos mesmos. Lembre-se que a praxe dos desenhistas é de desenhar um "v" com na fig. 2, que é o nariz regular. A fig. 1 mostra um nariz mais evidente e repare que o risco horizontal não está centralizado pois representa uma sombra que estaria no lado do nariz e não no meio. A fig. 3 representaria um autêntico nariz de soldado e na fig. 4 um nariz mais arredondado. Por fim, o nariz feminino, por ser inexpressivo deve ser desenhado com uma pequena sobra inferior com na fig. 5.

BOCA

A boca desenhada em close divide-se em superior e inferior, sendo que a parte superior é sobreposta à inferior e tem o formato de um pássaro no horizonte. O lábio superior é dividido em quatro parte sendo que eu faço a sombra em lados não contíguos (fig. 1) e a parte inferior é mais carnuda, devendo ser desenhada com a sobra nas extremidades. Porém, note nas revistas que raros artistas desenham os lábios em personagens masculinos, optando pelo desenho conforme a fig. 2 assumindo que a cor dos lábios masculinos é bem próxima à da pele. Na fig. 3 temos a boca feminina.

Repare na fig. 5 e na fig. 6 o já mencionado desenho dos dentes de um personagem sendo que eu opto pela fig. 6 e às vezes o da fig. 7, com a divisão dos dentes do fundo da boca. Técnicas: 1.Veja as figs. 4 e 7 e perceba que o movimento da boca sempre respeita a posição dos dentes. 2. Note que entre os dentes superiores e inferiores eu prefiro desenhar pequenos traços no canto, não chegando a se unir no centro (assim como a maioria dos artistas). 3.Olhe-se no espelho e aprenda a desenhar os movimentos da boca. 4. Quando se desenhar um personagem de perfil, atente para as mesmas dicas e repare nas figs. 8 e 9 que o rosto inteiro se modifica com a expressão bucal (reveja as figs. 7, 8, 10 e 11 da lição sobre crânios).

CABELOS

Os cabelos são parte fundamental para que seu desenho atinja uma sofisticação, e que seu desenho se torne plausível. Apresento abaixo os mais comuns tipos de penteado e o que é fundamental é esquecer que cabelo se desenha fio por fio. Veja os meus exemplos e os contidos nas revistas de quadrinhos para notar como deve ser feito. Abaixo, eu os apresento em duas posições. Pratique e monte a posição de perfil destes exemplos. Ao lado, veja como não se deve desenhar os cabelos. Detalhe: a fig. 6 é do cabelo do HULK.

ORELHAS

A simplicidade é a chave para se desenhar as orelhas que são a parte mais difícil de desenhar da cabeça. Primeiro, porque é difícil você se usar de modelo para desenhar a própria orelha, segundo, porque ela é realmente muito complexa. Senão vejamos: na fig. 1 e na fig. 2 estão simplificadamente as formas de uma orelha de frente e na diagonal. Veja as cabeças desenhadas nesta lição e perceba que uma orelha muito simplificada não faz diferença. Agora para aqueles que não se convencem, eu apresento na fig. 3 uma orelha mais elaborada e nas figs. 5 e 6 a seqüência de sua criação.


Chegamos então ao fim de nossa quinta lição.

Clique aqui para ver o início da lição

Clique aqui para voltar à página inicial

Clique aqui para voltar à lição anterior

Clique aqui para ir à lição seguinte


Mande um e-mail para mim com suas dúvidas e pedidos
Assim, entrarei em contato assim que as novas lições forem aprontadas


Ou veja como mandar um desenho seu para a Galeria do Internauta




Lembre-se sempre: PRATIQUE!

1